Especial Racionais MC’s – Escolha o seu Caminho: “A culpa também é nossa”

O álbum “Escolha o seu Caminho”, lançado em 1992 e o segundo dos Racionais MC’s, poderia ser resumido em apenas uma palavra: reação. É isso que o grupo pede para a “geração iludida” que ouve suas músicas.Capa do disco que nunca ouvi

Se no disco anterior o inimigo é o “outro”, neste álbum os Racionais pretendem mostrar que os próprios negros têm culpa por deixarem a situação chegar a esse ponto. Em “Voz Ativa”, um trecho resume bem isso: “eu lamento que irmãos convivam com isso naturalmente/não proponho o ódio, porém, acho incrível/que o nosso conformismo já esteja nesse nível”.

O título do álbum também é muito representativo, pois deixa bem claro que, por mais que seja difícil a vida dos negros e pobres da periferia, eles podem lutar por algo melhor. “Você tem duas saídas/ter consciência ou/se afogar na sua própria indiferença/escolha o seu caminho/ser um verdadeiro preto, puro e informado/ou ser apenas mais um negro limitado” (Negro Limitado).

Neste disco, a questão racial é tratada de forma mais enfática do que em qualquer outro do grupo. “Racionais declaram guerra contra aqueles que querem ver os pretos na m… (desculpe, mas não pretendo escrever palavrão no blog)” e “precisamos de um líder de crédito popular/como Malcom X em outros tempos foi na América/que seja negro até os ossos, um dos nossos” são alguns dos versos que tratam do assunto.

Nelson MandelaÉ interessante notar o tom professoral que os Racionais usam nas duas letras. Por mais que Mano Brown diga “não quero ser um Mandela, apenas mais um exemplo” (Voz Ativa), é notório como ele e Edi Rock assumem o papel de voz dos excluídos e dão seus conselhos para serem seguidos.

Antes de entrar na análise de cada música, tenho de reconhecer uma coisa: eu nunca ouvi esse álbum. Porém, escuto há muito tempo as duas músicas que o compõem por causa de uma coletânea lançada pela Zimbabwe em 1994. “Escolha o seu Caminho” tem quatro faixas, sendo que as três primeiras são versões de “Voz Ativa” (rádio, baile e capela) e a quarta é a “Negro Limitado”.

1 – Voz Ativa: “Eu tenho algo a dizer, explicar pra vocês, mas não garanto porém, que engraçado serei dessa vez”. Se você não está acostumado com Racionais e mesmo assim reconheceu esses versos, parabéns! O Marcelo D2 copiou exatamente as primeiras estrofes dessa música em seu sucesso “Qual é?”.

Mas vamos deixar o plágio para lá e falar sobre o que interessa. Essa música serve como um despertamento para aqueles que estão “brigando por quase nada, migalhas coisas banais” e mesmo assim estão acomodados. Como diria o nosso presidente Lula, a idéia é fazer com que o povo levante o traseiro da cadeira.

Avessos à mídia, os Racionais indicam que a TV é uma das culpadas por deixar a população sem vontade de lutar. Mas o povo negro também dá sua colaboração para que isso aconteça. “O Carnaval era a festa do povo, era, mas alguns negros se venderam de novo…”, diz Mano Brown, autor da música junto com Edi Rock.

Vale destacar o fato de como o grupo pretende resgatar o orgulho negro e a auto-estima dos oprimidos. “Acreditarmos mais em nós/independente do que os outros façam/tenho orgulho de mim, um rapper em ação/nós somos negros sim de sangue e coração” é um dos trechos que ilustram isso.

É esta faixa do disco que traz um trecho criticando as “mulheres vulgares” (“mulheres assumem a sua exploração, usando o termo mulata como profissão”). Por fim, uma das músicas sampleadas para formar “Voz Ativa” foi “Givin’ Up Food for Funk”, da banda norte-americana “The J.B.’s”.Capa do disco

2 – Negro limitado: um diálogo de um negro consciente com um “negro limitado” é que forma essa música, uma crítica aos próprios irmãos. O objetivo é mostrar a saída para uma vida melhor (“cultura, educação, livros, escola”), em vez de cavar a própria sepultura (“crocodilagem demais, vagabundas e drogas”).

Por mais que critiquem o comodismo dos próprios irmãos, os Racionais também mostram que existe o desejo antigo dos racistas otários de acabar com os negros (“porque é a nossa destruição que eles querem, física e mentalmente, o mais que puderem, você sabe do que eu estou falando, não são um dia, nem dois, são mais de 400 anos”). E a polícia faz parte desse “plano de extinção” (“o boletim de ocorrência com seu nome em algum livro/em qualquer arquivo, em qualquer distrito/caso encerrado, nada mais que isso/um negro a menos contarão com satisfação”).

A arma para vencer a situação é a informação, que é “mais poderosa que qualquer PT carregada”. Edi Rock também sugere ao “negro limitado” que “mantenha distância de dinheiro fácil, de bebidas demais, policiais e coisas assim”. Quem seguir esse conselho “será temido e também respeitado, um preto digno, e não um negro limitado”.

Na parte musical, vale lembrar que KL Jay usa sample de Hood Took me Under, do grupo Compton’s Most Wanted.

Anúncios

2 Responses to Especial Racionais MC’s – Escolha o seu Caminho: “A culpa também é nossa”

  1. […] faixa “Júri Racional”, que faria mais sentido se tivesse sido incluída no disco anterior, “Escolha o Seu Caminho”. Aliás, há um trecho sensacional nesta música: “se soubessem o valor que a nossa raça tem, […]

  2. adryana disse:

    delegado pode no máximo me investigar, um Juiz pode no máximo me prender, mas só vocês e Deus podem me Julgar”. “MV BILL”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: