Melhor Corinthians do meu tempo: Marcelo – Camisa 3

O Brasileiro de 1993 foi o campeonato em que eu mais acompanhei o Corinthians no estádio. Das 12 partidas que o Timão fez na Capital, estive em 10.

Desses dez jogos, um foi bem marcante: a vitória do Corinthians sobre o São Paulo por 1 a 0, no Pacaembu, com gol do volante Simão. Em 16 de outubro daquele ano, assistia pela segunda vez (no estádio) o Timão bater o Tricolor, teve show do Michael Jackson no Morumbi e, infelizmente, passei pela experiência nada agradável de tomar borrachada da polícia na rua (isso com 12 anos!) após o jogo.

Além de todos esses fatos inesquecíveis, a partida também foi a última das 342 disputadas pelo zagueiro Marcelo Kiremitdjian com a camisa do Corinthians. No meio do campeonato, quando não tinha essa coisa de janela de transferência para a Europa, ele se tornaria o primeiro brasileiro a jogar pelo clube francês Lyon.

Foto da Gazeta Press
Creio que se Marcelo não tivesse deixado o time antes do fim da competição, o Corinthians teria condições de ser campeão daquele ano. A equipe estava invicta e o trio formado por Viola, Válber e Rivaldo barbarizava os rivais. Lá atrás, porém, só o descendente de armênio se salvava. Com as contusões de Henrique e Nórton, então, o técnico Mário Sérgio foi obrigado a formar a fatídica zaga com Baré e Embu, recém-promovidos das categorias de base.

Nascido em 6 de novembro de 1966, exatamente 14 anos antes de mim, Marcelo começou sua carreira profissional no próprio Timão, durante a Copa União de 1987. Sua estréia foi pé-quente: 1 a 0 em cima do Internacional/RS, primeira vitória do Corinthians na competição, na qual o time terminaria na última posição.

No ano seguinte, já havia se consolidado com um dos grandes jogadores da equipe que conquistou o Campeonato Paulista. Em 1990, ao lado de Ronaldo e Neto, comandou a defesa campeã brasileira, que levou somente 20 gols em 25 jogos.

Em 1993, Marcelo teve duas decepções na segunda semana de junho: sofreu com a morte do pai, o grande incentivador da sua carreira, e amargou o vice-campeonato paulista diante do Palmeiras. Depois que deixou o Timão, passou pelo Lyon e voltou ao futebol brasileiro em 1998, quando foi vice-campeão nacional pelo Cruzeiro. Foi na equipe mineira que o jogador incluiu o “Djian” ao nome, pois atuava junto com o xará Marcelo Ramos.

Atualmente, o ex-zagueiro mantém estreitas ligações com o Corinthians. Não por exercer uma função no clube ou por ser lembrado como um grande jogador, mas sim por ser o representante do Lyon no Brasil. Bem que o time francês poderia se lembrar que do zagueiro que o Timão cedeu a ele para perdoar a dívida referente ao Nilmar…

Anúncios

4 Responses to Melhor Corinthians do meu tempo: Marcelo – Camisa 3

  1. fabio disse:

    Ahá! Eu estava nesse jogo do pacaembú e também foi especial pra mim, por outros motivos. Olhando hoje o ingresso, vi que a data estava 17 de outubro, mas eu tinha certeza que tinha sido num sábado e fui pro google tirar essa dúvida e caí no seu blog. Abraços.

  2. João Marques disse:

    Bom blogue!

    Parabéns, continuem!

  3. wm disse:

    com certeza o meu corinthians de todos os tempos é: ronaldo, zé maria, juninho fonseca, gamarra e wladimir, rincon, sócrates, marcelinho e neto, rivelino e ronaldo.

  4. Vanda Pereira dos Santos disse:

    Ontem durante o jogo do Corinthians me lembrei do Marcelo e meu irmão não, então pesquisei, imprimi a foto dele. O Marcelo foi um dos melhores jogadores que o Timão já teve. Tudo de bom Marcelo, que Deus continue te abençoando.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: