A poupança Bamerindus (!) continua numa boa

novembro 6, 2008

itaunibancoA fusão do Itaú com o Unibanco, anunciada na última segunda-feira, fez-me lembrar dos meus tempos de rapper. Uma das minhas músicas, composta em 1996, chamava-se “Office boy de Cristo”, e contava um pouco do meu cotidiano:

…De firma em firma, entregando correspondência
De banco então, tenho vasta experiência
Bradesco, Banespa, Itaú,
Nossa Caixa Nosso Banco, Unibanco, América do Sul

O mercado bancário, no entanto, mudou muito de lá para cá. O Santander adquiriu o Banespa em 2000, o banco estatal de São Paulo virou só Nossa Caixa (e já vai ser vendido para o Banco do Brasil), a marca Unibanco, pelo que entendi, sumirá do mapa em breve, e o América do Sul foi vendido para o Sudameris, que depois foi adquirido pelo Itaú Real (obrigado pela correção, Fabio).

Completo 28 anos nesta quinta-feira e passei refleti como as coisas não duram para sempre. No início dos anos 1990, a poupança Bamerindus estava numa boa (o banco foi vendido ao HSBC em 1997, em transação nebulosa). A partir disso, comecei a analisar minhas letras da época de MC Empada e vi que muito do que falei se perdeu atualmente. Confiram:

Você deve estar achando esquisito
Um moleque que fala de Jesus Cristo (Rap de Adoração, 1995)
– com 15 anos, normal se apresentar como um moleque. Hoje isso não seria possível

E o dinheiro, infelizmente, é o Deus do mundo
Garotos sonham em se tornar um Edmundo (Cuidado, 2002)
– na época ele já não estava lá grandes coisas. Hoje, então, qual menino gostaria de se tornar um Edmundo, atacante do Vasco que joga uma vez sim, quatro não?

Pois a mídia toda está contra o nosso lado
Ela mostra que ser cristão é uma bobagem
Enquanto isto passa a novela “A Viagem” (MC Empada, 1995)
– a novela “A Viagem” já passou até no Vale a Pena Ver de Novo. E, com a compra da Record pela Universal, é muito simplista dizer que a mídia toda está contra os cristãos evangélicos

Em dizer que eu só falo bobagem
Só porque eu tenho catorze anos na bagagem (MC Empada, 1995)
– hoje só tenho o dobro desta idade

Finalmente, MC Empada
Tem sua banda formada
Cel no teclado, Brack na bateria (Ministério, 1997)
– a banda não existe mais. Há pelo menos cinco anos que não nos apresentamos juntos

Estava eu, MC Empada
Na época das Olimpíadas (Nada Vai, 1996)
– a música até parece atual. Parece, pois estava me referindo às Olimpíadas de Atlanta.

E isso era ainda mais frustrante
Para uma carreira não muito triunfante
Nos esportes em geral
É, nunca fui “o animal” (Nada Vai, 1996)
– quem usa a expressão “animal” hoje em dia?

E aconteceu uma coisa animadora
Enviei uma fita minha pra uma gravadora (Nada Vai, 1996)
– qual músico envia “fita” para uma gravadora atualmente?

Podem parecer coisas inocentes
Da cabeça de um adolescente (Nada Vai, 1996)
– com 28 anos, não posso mais me considerar um adolescente, né?

Nas ruas de São Paulo, no bairro de Pinheiros
Trabalho como boy, não ganho muito dinheiro (Office boy de Cristo, 1996)
– continuo não ganhando muito. Mas creio que os motoboys praticamente extinguiram com os office boys

Anúncios